Artigo escrito e gentilmente cedido por Kim Leitzes, CEO da ParkLU
Originalmente publicado em 
http://parklu.com/en/blog/outdated-Social-Media-Marketing-Strategy

Traduzido por Fabio Pelissioni de Carvalho

O que uma vez foi uma estratégia de marketing de mídia social inovadora que gerou interesse orgânico em sua marca parece cada vez mais um anúncio de TV. Sim, as taxas de engajamento no online são ainda muito maiores, e sim, elas geralmente proporcionam um funil de conversão muito mais curto do que com a TV. No entanto, a expectativa de vida de posts online — apesar de maior do que a de um comercial de 30 segundos — é surpreendentemente curta.

Marketing em mídias sociais x Pessoas são a mídia

O fato é, usuários de mídias sociais sempre vão ver o post de uma marca — patrocinado ou não — como um comercial, enquanto uma mensagem pessoal é algo qualitativamente diferente. Não é nenhuma surpresa que você raramente veja agências competentes como VaynerMedia ou Kissmetrics venderem qualquer coisa para os consumidores. São Gary Vaynerchuck Neil Patel pulando nas telas das pessoas.

Em outras palavras, marcas e empresas são coisas grandes, abstratas. São mídias ineficazes para comunicação porque os consumidores as veem como impessoais e efêmeras.

Como um proprietário da marca, você pode transformar esse obstáculo em uma vantagem. Mas como?

Imagine um cenário:

Você é um publicitário na América da década de 1950 — o melhor no que faz. Sua tarefa é criar o mais novo comercial de sabonete. Seu papel na agência, no entanto, é pouco convencional… para dizer o mínimo. As empresas vêm até você quando elas querem PERDER dinheiro. Através da nuvem de fumaça de cigarro, jogam um gigantesco trabalho no seu colo: faça o comercial mais apático, tedioso e banal já feito.

Qual é sua ideia?

Enquanto todos os comerciais perdedores irão variar, os piores dos piores terão uma coisa em comum. Eles não terão pessoas ou, mesmo que incluam algumas, serão pessoas sem personalidade.

Vozes e mensagens desconectadas vendem coisas de maneira ineficiente. Os anunciantes de antigamente sabiam disso e procuraram personagens memoráveis e celebridades para comerciais. Agora pule de volta para os dias de hoje, e significa que os profissionais de marketing digital precisam de uma nova perspectiva ao usar as mídias sociais.

Esqueça como você — uma empresa — quer apresentar sua marca. Re-crie estratégias perguntando-se como você quer que pessoas, indivíduos reais com nomes, apresentem sua marca para os círculos de influência delas.

De bloqueadores de anúncios a redes sociais privadas, as pessoas agora controlam a entrega de mensagens. Veja agora como deixar para trás a velha estratégia de marketing social de pagar, possuir e adquirir, e em vez disso fazer das pessoas a sua mídia.

 

Crie conteúdo altamente direcionado, atirando com sniper bem na atenção das pessoas

Conteúdo com alto potecial de compartilhamento tem vários atributos chaves:

  • Carregado de moeda social – O conteúdo deve fazer o compartilhador parecer interessante para as pessoas com quem eles compartilham.
  • Um núcleo emocional – Se o conteúdo não tem emoção, não será compartilhado.
  • Valor prático – O conteúdo deve melhorar a vida do seu consumidor.

Veja o que o Giphy oferece às marcas. GIFs não são apenas divertidos e fáceis de fazer, mas também um formato natural de conteúdo direcionado para apps de mensagens.

Use micro influencer e influencer marketing

Marcas discutem “social media” como se ela fosse a força real dirigindo as tendências, mas “mídia social” é um conceito, uma abstração. Você não está realmente distribuindo conteúdo através de mídias sociais, mas através de pessoas que compartilham, comentam e repostam.

Conteúdo nessas plataformas espalham-se principalmente por meio de nós de comunidade, ou influenciadores. Eles têm uma vantagem quando comparados à distribuição feita por publicitários, empresários e growth hackers, porque o compartilhamento de conteúdo é toda a sua vocação. É sua própria especialização em economia digital.

Existem muitos influenciadores com seguidores de nicho. Eles podem influenciar comportamentos e opiniões de seus seguidores mais do que celebridades maiores, genéricas. Similaridade cria empatia, e pessoas promovem seus pares. É assim que nasce a popularidade.

Micro influenciadoresKOLs (key opinion leaders) fornecem um caminho direto para as marcas acessarem e tocarem a confiança dos consumidores, e várias plataformas estão vendendo a abordagem de influencer e KOL marketing.

 

Desenvolva customer selling

Defensores de marca são o sonho de todo profissional de marketing, mas poucas marcas praticam customer selling. Motivar e recompensar os consumidores por divulgar sua marca na rede deles não é fácil. No entanto, quando implementado com sucesso, isso pode ser o uso mais poderoso de pessoas como uma mídia. Mensagens do cliente levam diretamente a transações. Muitas vezes a abordagem de customer selling pode ser facilitada utilizando economia de influenciador trickle down, onde a mensagem principal origina-se de conteúdo do influenciador, mas então é passada através de defensores da marca aos consumidores inexplorados.

O2O mais integrado

Eventos offline-to-online (O2O) criam ambientes perfeitamente desenhados para serem compartilhados entre as pessoas. Mas O2O não precisa estar limitado a eventos. Modificar embalagens ou produtos para incentivar o compartilhamento online é um caminho único para alcançar o inalcançável. Nunca foi tão fácil com a adopção de QR codes por apps de mensagens.

Uma startup que gastar milhões com uma estratégia de marketing social desatualizada naturalmente vai obter resultados, assim como uma grande empresa que gastar milhões em comerciais de TV. Conforme os usuários de mídia social são inundados com mais anúncios do que nunca, eles tendem a ver seu conteúdo pago como comerciais tradicionais. A realidade é que usuários estão cada vez mais protegidos do bombardeio de anúncios nos silos dos apps de mensagens. Mas bons publicitários sempre terão um emprego porque sua profissão é uma arte.

Marketing é uma ciência que envolve maximizar o investimento de marketing, e quem não é eficiente se torna obsoleto.

A indústria de vender coisas – que pode englobar marketing, propaganda e relações públicas – voltou ao ponto inicial. O fato de qualquer um poder aparecer na sua tela com uma promoção de $10 significa que as comunidades tornam-se mais difíceis de penetrar, e a fofoca custa mais caro. Modelos tradicionais de marketing social nos quais você paga, possui e adquire não vão se sustentar por muito tempo.

Leia o post original aqui: http://parklu.com/en/blog/outdated-Social-Media-Marketing-Strategy